sexta-feira, 21 de setembro de 2007

Relógios de ponto

Pois bem, decidiram então instâncias superiores ( e por isso mesmo mais bem informadas) que os hospitais passassem a ter, tal como as repartições, um relógio de ponto. Um relógio de ponto digital, finissimo e não enganável (pois toda a gente sabe que as pessoas que trabalham nos hospitais enganam tudo e todos, não cumprem horários, é uma rebaldaria), isto já para não falar nas condições principescas em que trabalham ou nos ordenados faustosos de que auferem. Assim sim, fez-se justiça finalmente.

Pois bem, posto isto, e concordando com o principio do cumprimento de horários, vou passar a cumpri-los de forma escrupulosa, doa a quem doer, chega à hora e...andor.
O Sr. Fulano, que só queria uma receita do remédio que acabou...vai então esperar por amanhã, também é dia amigo e na hora certa estamos cá todos, o autocarro atrasou-se? não, os autocarros deste cantinho magrebino não se atrasam, também já têm relógios de ponto ou o Sr. não sabia?

E, como é bom de ver a malta agora com o horário bem controladinho trabalha muito mais e melhor!

6 comentários:

S. disse...

haja justiça!
como calculas não sou muito habitué em hospitais. esses malandros dos médicos não me convencem, sabes? a verdade é que sempre me senti uma UTENTE, mas fazia-o em silêncio porque nunca me pareceu que me dessem o devido valor. "Paciente" para a frente, "paciente" para trás... Utente, utilizadora que é bom, nada! Mas a mudança por fim chegou e com ela os meus dias de glória. Ora espera para ver...

José Ruah disse...

Com a devida vénia.
Fazendo parte dos senhores engravatados que têm entre outras por missao controlar(em termos de gestao entenda-se) os Srs. Drs. da Bata Branca acho muito bem que se incremente o controlo de assiduidade.

Até há bem pouco tempo o regime era de Livro de ponto - literalmente LIvro - que era assinado quando era, e se nao fosse no dia as vezes era assinado a dia 2 ou 3 do mes seguinte em todas as paginas do mes anterior.

Ora isto também nao é legitimo.

O que C.M. contesta , o incremento de controlo, nao é na minha acepçao absolutamente a questao principal.

O que é a questao principal é termos claro que cada profissional é pago para executar um determinado tipo de trabalho num determinado periodo de tempo, recebendo para isso uma compensaçao pecuniaria ( que se pode discutir se é ou nao justa suficiente , etc, mas isso sao outros 500).

Logo se o volume de trabalho existente é superior ao que pode ser executado pelos profissionais existentes a cada momento cabe aos Srs. de Gravata encontrar soluçoes, contratando mais profissionais, pagando horas extraordinarias, fechando serviços.... etc.

Agora o que nao pode acontecer é que um profissional assine uma presença, quando nao pos la o pés ou só apareceu para assinar o ponto e foi imediatamente para outro sitio.

Quanto à questao de entrar a horas e sair a horas, e " nem mais um minuto para o patrão" nao discordo. Eu proprio o fiz quando me foi imposto um controlo de ponto , após vários anos sem horarário, e quem saiu prejudicado foi a instituiçao, pois eu passei a trabalhar o justo e a receber horas extraordinárias pagas em especie ou em dias e bem que as usei.

Evidentemente que esta é a minha opiniao engravatada, percebo no entanto perfeitamente os sentimentos expressos por C.M.

C.M. disse...

S.
como em todas as profissões há bons, maus e assim-assim. Não passam afinal de humanos!
Algumas coisas têm mudado para melhor, outras nem por isso...

JS.

Sem vénia.
Como bem sabes eu até que acredito no cumprimento de horários como principio básico de funcionamento. O que não acredito é em esquemas de controlo dedicados ao minuto, que são caros e não põem as pessoas a trabalhar nem mais, nem menos.
Quem não quer mesmo trabalhar, pica o ponto, volta a sair e regressa para picar a saída!
Será assim que os senhores da gravata acham que resolvem a questão da produtividade?? gastando fortunas em cenas digitais que servem básicamente para alimentar a empresa que as vende e uns quantos que comem pelo caminho? deve ser por isso que não uso gravata, he,he
Bem, acho que já tenho tema para mais um post:)

José Ruah disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
José Ruah disse...

Carissima

Os senhores da gravata controlam a produtividade de outras formas que via relogio de ponto.

Quem nao quer trabalhar é rapidamente identificado. E se no sistema laboral actual, nomeadamente na "funçao publica" é ainda dificil prescindir dos serviços de A ou de B, para lá se caminha e nessa altura, se calhar ha muito mais coisas a entrarem nos eixos.

Eu sei que V.Exa. é partidaria de cumprir horarios e até sei que é muito cumpridora, e sei que tera um nivel de produtividade acima da média.

POr isso tomei o cuidado de nao individualizar a minha opiniao, antes sim generaliza-la.

um dos meus motes é " De Derrota em Derrota até à vitória Final"

Este Sistema teve/tem pelo menos o merito de obrigar os caloes a irem duas vezes por dia ao local de trabalho, picar a entrada e a saida.
O Anterior no limite bastaria uma vez por mes para assinar todos os dias.

Tinhamos uma grande derrota nao iam e nao trabalhavam.
Passamos para uma Derrota um pouco menor, têm que la ir mas ainda nao trabalham.

Veremos qual é a Derrota seguinte. POde ser que seja, vao todos so dias e trabalham um terço do mês.

Enfim, ca espero o proximo post.

Anónimo disse...

o que falta neste país é um pouco de imaginação...
Passamos a vida a recorrer a tácticas e mézinhas comprovadamente
caducas e sem originalidade...
Com esta tão propagandeada aplicação de controlo de horários para os hospitais o "nosso governo", apenas pretende distrair a populaça actuando sobre uma área que como todos nós sabemos está muito deficitária e onde existem permanentes queixas dos utentes.
Chama-se a isto atirar poeira para os olhos.
Distrai-se a malta com a ilusão que tudo funciona mal,porque os técnicos da saúde não cumprem, quando se sabe a quantidade de asneiradas e medidas grosseiras que se tem implementado na organização desta área.
Relógios de ponto!!!!!
Deve haver por aí alguns boys que há conta disto ainda vão ganhar algum, a vender este magnifico produto.
Lá se vai mais algum dos meus impostos...
Os portugueses têm a imaginação que os os governantes não têm e vão inventar mil e uma maneira de aldrabar o ponto..aliás já estão inventadas, falem com o pessoal das fábricas de encher chouriços.
Estou totalmente de acordo contigo
c.m., existe gente honesta e desonesta em todas as profissões, e os desonestos irão dar a volta ao assunto...

Bjos
eu (titiokrido)